Em 2022 prefeitos passarão por teste de “força política”

0
66

Coluna Retalhos da História – Nem bem começou o mandato dos novos prefeitos neste ano de 2021 e as eleições de 2022 já é uma nota de lembrete e compromisso no topo da agenda política de qualquer liderança. As eleições que definirão presidente, governador, deputado estadual, deputado federal e senador necessitarão dos municípios para fortalecer os agrupamentos e eleger os novos representantes. É nesse sentido que em 2022 os prefeitos, de todos os municípios, necessitarão mostrar força política. “A política é dinâmica e não dorme”.

Mostrar força política em seus municípios, e garantir o máximo de votos aos seus candidatos, é o que torna qualquer prefeito uma liderança forte em termos de representatividade política. Se este não souber comandar e obter as “qualidades” de um líder, seu nome e imagem política cairão por terra e o mostrará como um “projeto” fracassado. A história tem vários exemplos de lideranças que fracassaram por não mostrar coesão de grupo.

Um dos grandes líderes da História, Alexandre da Macedônia, tinha uma grande tática para ser querido entre seu povo e até hoje continua sendo objeto de estudo – [Material para um próximo artigo].

Voltando aos municípios nesse 2021, os prefeitos trabalham em duas frentes: as questões administrativas, ou seja, o gerenciamento do seu território nas mais diversas questões e agenda política de 2022. É o momento em que eles precisam trabalhar o fortalecimento do grupo e evitar situações que causem rupturas ou climas desnecessários que o enfraqueçam.

Mesmo distante, o ano de 2022 é um momento próximo e já presente em termos das articulações para as disputas políticas citadas. Os bastidores, mesmo em temperaturas baixas, é certo que começarão a esquentar em breve. Os partidos, por sua vez, farão cobranças para eleger o máximo de cargos e nessa ocasião o de governador é um deles, só para citar como exemplo.

O teste de “força política” dos prefeitos é em 2022. Nos bastidores as articulações políticas já começaram, e a desunião em alguns casos também. Se o líder não souber garantir ao seu lado um pequeno grupo, não será capaz de manter um de maior proporção para obter resultados.

A força do líder político – nesse caso específico prefeito – reside fortemente no grau de carisma que ele mantém perante o grupo e seu povo que se traduzirá como fidelidade revertendo em votos no ano de 2022 consagrando assim sua imagem em liderança ou um verdadeiro naufrágio.

Por Adeval Marques
Contato Coluna: (79) 98814-8047

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta