Propriá perde um grande humanista e outro visionário: Iokanaan Santana e Márcio Dória

1
112

Propriá/SE – A não reeleição de Iokanaan Santana para administrar Propriá tem um viés de análise único. Para quem identifica o trabalho que ele estava fazendo e conhece de mais de perto, a palavra que muito definem para o momento é injustiça e ingratidão e também demonstra que atitude poderiam ter sido tomadas há pelo menos dois anos antes visando o momento político de 2020.

Como tantas vezes ditas e escritas, denota-se que a dedicação do Prefeito por sanear as contas do Município, deixadas por outras administrações no curso de duas décadas. Precatórios que a administração Tempo de Reconstruir assumiu pagar impossibilitou e impossibilitará mover execução de grandes obras em Propriá. Iokanaan não teve ao seu lado o Governo do Estado. A administração fez o que as condições permitiram.

Sabe-se que, independente do papel de gestor, Iokanaan é um humanista, mesmo que essa qualidade não seja reconhecida ou exaltada por alguns. Existe os que reconhecem, já outros justificam com jargões vazios. O importante desse processo é que o homem Iokanaan humanista e o seu trabalho em diversas áreas não se perderá no tempo e o futuro cobrará.

Márcio Dória é um visionário, tem ideias brilhantes e junto com Iokanaan escreveram uma parte importante da História. É a prova que dois corpos difusos podem ocupar o mesmo lugar. Discursos e posturas diferentes que se encontram em um determinado momento do tempo na somação de força e união por um projeto que, se fossem confirmados nas urnas, colocaria Propriá nos trilhos para o futuro.

Em que pese todo respeito ao demais adversários dentro do processo, é preciso lembrar que Iokanaan é um sujeito sensível e bondoso. Não se investe de autoritarismo, armaduras, de ódio ou vingança. Quem de perto vê Iokanaan, reconhece o grande homem dentro da caixa chamado de corpo.

A nova História será a de Dr. Valberto Lima, será um capítulo adiante.

Por Adeval Marques

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta