Ajuda: Itaporanga D´Ajuda receberá R$ 60 mil/mês para enfrentamento ao Covid-19

0
61

Segundo a matéria do G1, com título: “Ministério da Saúde credencia 20 cidades sergipanas para implantar Centros de Atendimento de Covid-19”, Itaporanga D´Ajuda é um dos municípios que passará

Portaria federal autoriza repasse de até R$ 80 mil por mês para municípios gerenciarem estruturas temporárias de atendimento de síndromes gripais e da Covid-19.

Vinte municípios sergipanos foram credenciadas pelo Ministério da Saúde para implantarem Centros de Atendimento para casos de Covid-19. A Portaria nº 1.797/2020 foi publicada na última quarta-feira (22) no Diário Oficial da União (DOU) e assinada pelo ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello.

Segundo o MS, os centros irão servir como estruturas auxiliares para identificação precoce dos casos, com atendimento adequado das pessoas com síndrome gripal e sintomas leves da Covid-19, sem afetar os atendimentos da Atenção Primária.

Grupos

Os Centros de Atendimento para enfrentamento da Covid-19 podem ser de três tipos: Tipo 1, para municípios de até 70 mil habitantes; Tipo 2, para municípios entre 70 e 300 mil habitantes; e Tipo 3, para municípios com mais de 300 mil habitantes.

Campo do Brito, Canindé de São Francisco, Capela, Carira, Cedro de São João, Divina Pastora, Indiaroba, Itabaianinha, Itaporanga D’Ajuda, Japoatã, Neópolis, Nossa Senhora das Dores, Pacatuba, Pedrinhas, Salgado, Santa Rosa de Lima, Santo Amaro das Brotas, Siriri e Telha estão no Tipo 1, com verba de R$ 60 mil mensais. Enquanto, Itabaiana está no Tipo 2, com verba de R$ 80 mil mensais.

Estruturação

Ainda de acordo com o MS, as administrações municipais são responsáveis pela estruturação desses espaços, que deverão estar em locais de fácil acesso à população e com condições sanitárias adequadas.

Os Centros de Atendimento podem ser instalados, por exemplo, em postos ou centros de saúde, clínicas da Família ou policlínicas, respeitando a orientação da pasta em não interromper nenhum serviço de saúde. As unidades devem conter consultório, sala de acolhimento, sala de isolamento e sala de coleta.

Segundo a portaria, a transferência da verba vai acontecer mensalmente e pode ser interrompida caso o centro apresente irregularidades. A medida vale enquanto durar o cenário emergencial de saúde pública decorrente do novo coronavírus.

Fonte: G1

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta