Cocô comprova presença de humanos na América do Norte há 12 mil anos

0
14

Análise biológica revelou que excrementos encontrados nas cavernas Paisley, noroeste dos Estados Unidos, eram de fato de Homo sapiens

Uma porção de cocô fossilizado encontrado nas cavernas Paisley, noroeste dos Estados Unidos, revelou que o Homo sapiens já ocupava a América do Norte há 12 mil anos. A conclusão é resultado de um estudo liderado pela Universidade de Newcastle, no Reino Unido, e foi publicada na Science Advances na quarta-feira (15).

No artigo, os cientistas explicam que seu resultado confirma a hipótese de que os primeiros seres humanos conhecidos nas Américas eram de uma cultura pré-Clóvis. Os Clóvis, por sua vez, eram um povo que viveu no continente, deixando marcas e ferramentas como registros arqueológicos.Embora historiadores já tenham encontrado outros indícios de que os primeiros norte-americanos surgiram na era pré-Clóvis, nenhum deles foi tão convincente quanto as fezes humanas descobertas recentemente. Isso porque os pequisadores analisaram o material em busca de marcadores genéticos, mais especificamente lipídios, para identificar se o cocô veio de humanos, cães ou outros animais.

“A questão de quando e como as pessoas se estabeleceram nas Américas pela primeira vez tem sido objeto de intenso debate”, explicou Lisa-Marie Shillito, coautora do estudo. “Usando uma abordagem diferente, conseguimos demonstrar que haviam populações pré-Clovis presentes na área da Grande Bacia [perto das cavernas Paisley] e resolver esse debate de uma vez por todas.”

Os cientistas ainda revelaram a presença de lipídios canínos na amostra, sugerindo que os cães estavam consumindo fezes humanas — e vivendo junto com os antigos Homo sapiens. “Queremos saber mais sobre as próprias pessoas. Era uma época em que o ambiente era muito diferente e mudava rapidamente. Queremos saber como eles se adaptaram a essa mudança, o que estavam comendo e como isso mudou com o tempo”, disse Shillito.

RevistaGalileu

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta