“Forças ocultas impedem o desenvolvimento de Propriá.”

0
162

Coluna Adeval Marques – O poder político é o poder do homem sobre outro homem. É quando alguém – político – tem o poder administrativo sob uma região – Município, Estado ou País. O administrador vai procurar meios e condições para construir o desenvolvimento de uma sociedade especifica a qual é partícipe. Nesse caso, um Prefeito (Município), Governador (Estado) e Presidente (País).

Nos dias atuais, esse poder político de uma região pobre, como é o caso de Propriá, depende de entes externos para garantir o desenvolvimento. O desenvolvimento de Propriá, há muito tempo que se vê estacionado e um dos motivos é o que o Prefeito Iokanaan Santana colocou recentemente em entrevista no programa Prefeitura em Ação. Disse Iokanaan ao fazer uma pequena reflexão sobre sua administração: “Forças ocultas impedem o desenvolvimento de Propriá.”

Administrar uma cidade não é como disputar uma partida de futebol que, mesmo tendo um treinamento e planejamento fora de campo pela orientação de uma equipe técnica, ou entrar em joga cada jogar faz do seu jeito criando jogadas mirabolantes para ter o sucesso do gol e vitoriar a partida. Não é assim em administração pública. No papel de condutor administrativo de um município, o gestor, também chamado por ordenador de despesas e mais conhecido como Prefeito, tem uma grande responsabilidade porque administra o bem comum para a qualidade de vida humanas na Polis, a cidade. Cai sobre seus ombros grande responsabilidade de decisões, planejamento, gerenciamento administrativo, aplicação de recursos, trato nas relações humanas, buscar recursos e condições para o desenvolvimento. Iokanaan tem feito assim desde antes de chegar na cadeira de Prefeito quando foi à Brasília com parte de sua equipe para sentar com o Senador Eduardo Amorim e Antônio Carlos Valadares. Pois já tinha o desenho da situação em suas mãos e sabia o que teria pela frente para administrar Propriá, urgente e carente de desenvolvimento. “Forças ocultas impedem o desenvolvimento de Propriá.”

A região do Baixo São Francisco como um todo é hoje o maior bolsão de miséria do Estado de Sergipe. Todos municípios estão em retrocesso no desenvolvimento. Esse grande pedaço de terra do Estado, que teve papel importante quando da ocupação de Sergipe pelos portugueses, franceses e holandeses, continua carente de atenção. Não se vê uma grande indústria, nem obras do Governo Federal e nem do Estado que promovam o avanço intelectual e motor da região. Propriá surge nesse cenário de incertezas. Teve menos de cem anos de glória econômica e descambou para o retrocesso e hoje o esquecimento total. “Forças ocultas impedem o desenvolvimento de Propriá.”

 

Iokanaan foi feliz. Educado, ético e responsável, não declarou nomes mas sabe muito bem quem não tem dado atenção para o desenvolvimento de Propriá. Tentou buscar um Universidade em Brasília, tentou implantar indústrias doando áreas, o distrito industrial é um sonho de 30 anos, galpões esquecidos que poderiam abrigar mine fábricas, falta gás industrial, falta complemento de estruturas…

Iokanaan Santana e Senador Valadares falam sobre a Universidade para Propriá

As forças que dificultam o desenvolvimento vem da política pequena das esferas maiores. A região Sul, rica e próspera, que tem a grande parte dos recursos capitaneados para lá, é o espaço geográfico onde reside as grandes fábricas, indústrias, comércio pujante. É aonde tem maior número de representação política. Por conseguinte, grandes valores em emendas caem ali; o Governo Federal é mais presente e o Estado sempre mais presente. As forças na região Sul só precisam do Baixo São Francisco para o voto, eles querem o Sul forte e desenvolvido enquanto Propriá, o maior quartel eleitoral, padece de solidão porque o que Iokanaan colocou foi embasado em conhecimento, grande lucidez e sabedoria ao dizer:  “Forças ocultas impedem o desenvolvimento de Propriá.”

Vídeo de entrevista em 2016 com Iokanaan Santana

É chegado o momento de esclarecer a população sobre fatos assim e provocando uma reflexão e estimulando a consiência de que administrar um município não é como uma partida de futebol, não se pode vender ilusão e precisa-se de estrutura e inteligência emocional para viver com o conflitante diário e as utopias que se vão em razão das “forças ocultas”. O município sem atenção da força maior, levará muito tempo para ter seu desenvolvimento.

Iokanaan foi feliz e sincero.

Por Adeval Marques
Esse é um artigo de opinião particular do autor.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta