Propriá: Ministério Público notifica donos de barracos nas margens do rio São Francisco

0
154

Propriá/SE – O donos de barracos nas margens do rio São Francisco, no trecho que compreende a cidade de Própria, foram notificados pelo Ministério Público no dia de ontem, 29/jan.

Segundo levantamento do site, às imediações da Crôa dos Pintos, trecho da Quintino Bocaiúva, Banca do Peixe e bairro Poeira os proprietários foram informados de que precisam comparecer no Fórum local para uma audiência que tratará do assunto com o Promotor Dr. Nilzir Soares.

O MP há muito tempo recebe denúncias de pessoas que reclamam da falta de acesso ao rio São Francisco que foi tomado por cercas impedindo a passagem para o uso da água, quer seja para o lazer, pescaria ou qualquer outra necessidade. Existe ainda o agravante de alguns proprietários se comportarem como donos absolutos das margens do rio fazendo uso do espaço para criação de animais. Existe diversos relatos, por exemplo venda de terras. Por motivos óbvios é que o MP profere o encontro fazendo uso da notificação aos donos de barracos e da reunião deverá surgir orientações ou até ordem para desocupação do espaço.

O Ministério Público solicitou na ação o apoio dos órgãos da Prefeitura Municipal por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Guarda Municipal para atuar em parceria e no cumprimento da política pública inerente a situações como essas.

Na análise critica de muitos na cidade, efetivamente algo precisa acontecer nesse sentido. A frente nas margens do rio foi loteada há anos sem que providências fossem tomadas para coibir. Falhou as administrações municipais que passaram, Câmara Municipais, a Marinha do Brasil que nada fiscalizou até hoje e a chamada FPI que só fiscaliza e não promove resultados e por fim a Justiça, todas os citados falharam no cumprimento e atuação  quando não fiscalizaram ou não quiseram ver as situações. Como resultado, a cidade ficou feia e desorganizada em sua urbanística deixando uma má impressão por parte de visitantes e turistas.

O desafio em ver tomadas providências sérias serem tomadas lançados. É preciso retornar o direito do cidadão em poder andar e fazer uso livremente das margens do rio São Francisco. Sem duvidar de algo deve aconteçer, pois o MP tem grande papel em agir, toda sociedade aguarda o desfecho e a imprensa é uma caixa de ressonância da sociedade.

Por Adeval Marques

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta