Governo inicia recuperação de pilares da ponte sobre o rio Japaratuba

0
20

Serviços são executados nos dois pilares em terra que não precisam de sustentação durante a reforma

O Governo de Sergipe, por meio do Departamento Estadual de Infraestrutura Rodoviária de Sergipe (DER), iniciou a recuperação de dois, dos 14 pilares da ponte sobre o Rio Japaratuba, no município de Pirambu, litoral norte do Estado.

Enquanto aguarda o laudo de resistência residual, elaborado por uma empresa contratada pelo Governo do Estado, especializada no assunto, e, cujo resultado identificará a possibilidade de liberação da ponte para veículos de pequeno porte, a empresa vencedora da tomada de preços adianta os serviços de recuperação da ponte e executa os trabalhos dos dois pilares em terra firme, que não necessitam do escoramento da ponte para serem recuperados.

Os serviços de recuperação compreendem a demolição do concreto obstruído, reparação e tratamento da ferragem destruída com a aplicação de um produto neutralizador antiferrugem e prime anticorrosivo. Após o tempo de secagem de 72 horas, os pilares receberão uma nova concretagem, ficando assim completamente recuperados.

Morador do município de Pirambu, o autônomo Cleiton Araújo, 27 anos, se mostra mais tranquilo com a liberação da passagem de pedestres estabelecida desde o último 27 de novembro. “Deu para dar uma aliviada, pois, os pedestres, ciclistas e motociclistas podendo trafegar fica muito mais fácil para se deslocar até a Barra dos Coqueiros e Aracaju. Sei que é um pouco complicado, mas a interdição de carros é necessária, já que a prevenção é a melhor maneira de se evitar uma tragédia”, afirma.

Da mesma opinião, Gildete Matos, diz que a liberação de pedestres foi uma decisão acertada. “Muitas pessoas aqui de Pirambu trabalham na Barra dos Coqueiros e em Aracaju, se tivessem que se deslocar por Japaratuba o valor do transporte seria dobrado. Concordo com a interdição de carros enquanto faz a reforma, pois, é muito melhor preservar vidas do que correr risco”, avalia a professora de 46 anos.

Nos próximos dias, o resultado da avaliação criteriosa feita pelos profissionais no dia 27 de novembro será divulgado por meio do laudo de resistência residual, e através dele será possível saber se a liberação do tráfego de veículos sobre a ponte será permitido ou não.

Foto Marcos Rodrigues

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta