Prefeito que fez sexo oral em elevador é acusado de improbidade

0
120

Brasília/DF – Em abril, Rildo Emanoel Leonardi foi flagrado fazendo sexo oral no elevador de hotel do DF. Desta vez, acabou denunciado pelo MPPR

Flagrado praticando sexo oral dentro do elevador de um hotel do Distrito Federal em abril deste ano, o prefeito de Tibagi (PR), Rildo Emanoel Leonardi (MDB), voltou a ser alvo de polêmicas. Desta vez, o político é acusado pelo Ministério Público do Paraná (MPPR) de improbidade administrativa. A denúncia é de 15 de outubro.

Segundo denúncia oferecida pela Promotoria de Justiça da Comarca de Tibagi, cidade de 20,5 mil habitantes a 1.261 quilômetros da capital federal, Rildo e outras cinco pessoas são acusadas de participar de esquema de contratação ilegal de uma empresa para confecção de 1.021 fantasias, adereços e enfeites carnavalescos, além de quatro carros alegóricos para o Carnaval de 2017.

Ao todo, de acordo com o MPPR, o grupo teria gasto R$ 126.781 dos cofres públicos com o contrato. A irregularidade, conforme o órgão, se deu durante o processo de escolha da empresa que cuidaria da atividade. O Ministério Público paranaense afirma que a administração pública da cidade “dispensou indevidamente a realização de certames licitatórios que possibilitavam a livre concorrência”. A ação teria sido orquestrada para beneficiar a empresa escolhida.

A denúncia afirma que o prefeito foi “o agente responsável pela ratificação, homologação e adjudicação dos procedimentos licitatórios”, ou seja, de acordo com o órgão, era responsabilidade de Rildo “a correta, transparente e eficiente utilização dos recursos públicos”, o que não ocorreu. Ele ainda é acusado de “causar prejuízo ao erário”.

A reportagem procurou a Prefeitura de Tibagi (PR) para comentar as acusações, mas o órgão não havia respondido até a última atualização desta matéria. O espaço está aberto para eventuais manifestações.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta