“Kaká Andrade ainda não deu uma palavra sobre a situação de Canindé de São Francisco.”

0
109

Como disse Maxwell: “Liderança não é sobre títulos, cargos ou hierarquias. Trata-se de uma vida que influencia outra” – John C. Maxwell.

“É estranho o silêncio de Kaká Andrade sobre a situação em Canindé. É estranho que ninguém da família tenho dito nada por Canindé, mesmo sabendo do sofrimento em que estamos aqui”, assim relatou um cidadão do município diante dos fatos negativos que repercutem na imprensa do Estado de Sergipe e mais ainda na Justiça.

Kaká Andrade, ainda suplente do Senador Eduardo Amorim, é tido como o homem que reúne as condições para tentar formar um grupo e manter vivo parte do legado do ex-prefeito Orlandinho Andrade, que faleceu no início de 2017 deixado seu vice-prefeito, Ednaldo da farmácia, no poder. Kaká estava como Secretário Municipal de Turismo na chegada de Ednaldo e deixou o cargo no final de 2017, como havia sido profetizado. Distante dos cargos em Canindé, ele se ausenta também dos problemas do município. Há quem não entenda e faça criticas veladas. Como disse Maxwell: “Liderança não é sobre títulos, cargos ou hierarquias. Trata-se de uma vida que influencia outra” – John C. Maxwell. Seu nome poderia ajudar Canindé nesse momento.

Ao sair da Prefeitura, uma fala sua foi registrada na imprensa do Estado quando ele afirmou que Canindé de São Francisco precisava estancar a “sangria.” Ele conhece de perto a situação, pois já foi Secretário Geral da Prefeitura por três gestões, sua formação e conhecimento, o coloca em grau de domínio e com informações privilegiadas sobre diversos assuntos porque mantém ótimas fontes locais. Mas, diante de tudo que aconteceu nos últimos meses em Canindé de São Francisco, onde até hoje se pede socorro, Kaká Andrade, nada diz de forma pública. É um grande erro, falta de atenção ou não quer se envolver? São questionamentos que são feitos pelos cidadãos. Mas difícil ainda é encontrar ou marcar com Kaká para falar sobre o assunto, pois sua correria no ITPS, órgão que coordena, parece não lhe dar tempo. Bem que a opinião dele seria importante.

Sua pré-candidatura para prefeito de Canindé de São Francisco é algo que vem sendo trabalhada nos bastidores. Ele evita aparecer para falar sobre o assunto, prefere articular. O final de dezembro de 2019 marcará na folhinha as proximidades das eleições municipais de 2020. É nesse tempo curto de apenas oito meses de campanha que o clima político começa a esquentar e todas as falas ouvidas. Alguém deve cobrar essa ausência de Kaká Andrade que poderia dizer algo sobre o momento em atenção ao povo de Canindé de São Francisco. Seria importante nesse momento de somação de forças.

Enquanto isso há quem reclame: “Kaká Andrade ainda não deu uma palavra sobre a situação de Canindé de São Francisco. Continuamos abandonados.”

Por Adeval Marques

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta