Secretaria de Saúde discute no MPE situação da maternidade de Capela

0
10

Na manhã desta terça- feira, 29, o secretário de Estado da Saúde, Valberto de Oliveira, acompanhado da superintendente executiva, Adriana Menezes, técnicos da SES e a prefeita de Capela, Silvany Manlac, foram recebidos pelo promotor do Ministério Público Estadual (MPE), Rony Almeida, para uma reunião onde foi discutido o reordenamento da rede materna no Estado.

O objetivo é que os recursos públicos sejam utilizados de forma resolutiva em consonância com a eficiência no fluxo de atendimento, o que não vem acontecendo na maternidade de Capela. Para se ter uma ideia, de janeiro a setembro deste ano foram realizados somente 315 partos na unidade.

No MPE ficou definido que os serviços da maternidade de Capela só serão transferidos para outras unidades após definição de todo o fluxo sobre onde as gestantes serão atendidas. O alinhamento tem o apoio do Centro de Apoio Operacional dos Direitos à Saúde do MP e a promotoria de Capela.

De acordo com o secretário Valberto de Oliveira, essa é uma oportunidade de ouvir o Ministério Público sobre os serviços da maternidade de Capela, que já tem o seu fluxo há muito tempo com baixa demanda.

“É preciso seguirmos algumas etapas e uma delas é a distribuição dos profissionais e criar um fluxo a fim de assistir as pessoas que precisam da maternidade no tocante ao deslocamento. Se houver médicos dispostos a completar a escala médica, a maternidade continua com o seu funcionamento, mas esta não é a realidade há muito tempo. Essa ação vai melhorar o fluxo, otimizar o recurso e nenhuma gestante ficará sem atendimento na rede estadual de saúde”, revela o secretário.

De acordo com o diretor do Centro de Apoio Operacional dos Direitos à Saúde do Ministério Público, Rony Almeida, a reunião foi realizada atendendo à solicitação do secretário de Estado da Saúde, Valberto de Oliveira. “O secretário pediu para que uma comissão fosse formada para tentarmos juntos resolver a situação da maternidade de Capela. O Estado afirma que há custo alto na maternidade e uma baixa eficiência. Há um projeto no MP para discutir a reordenação da rede materna, o que vai de acordo com o interesse do próprio Estado”, revela.

A prefeita de Capela Silvany Manlac considera que a reunião foi proveitosa, tendo em vista que algumas definições aconteceram. De acordo com ela, a presença do Ministério Público respalda e reitera que o Estado e a prefeitura estão fazendo tudo de forma responsável em busca de eficiência e responsabilidade.

“Quero tranquilizar o povo capelense e toda a população do vale do Cotinguiba, nós estamos reordenando a rede, os serviços vão continuar, está tudo sendo monitorado pelo Ministério Público e eu agradeço ao Governo do Estado, através da Secretaria de Saúde pela sensibilidade que tem tido com o nosso município. Nós sabemos que Saúde é questão de investimento e nós precisamos otimizar a aplicação desses recursos”, explica Silvany.
Texto: SES
Foto: Celene Moraes MPE

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta