SES participa do 5º Ciclo de Capacitação do Selo Unicef

0
17
Técnicos da Secretaria de Estado da Saúde (SES) das áreas de Alimentação e Nutrição, Rede Materno-Infantil e Imunização participam do 5º Ciclo de Capacitação do Selo Unicef, evento realizado no auditório da Faculdade São Luís de França, com o objetivo de discutir as políticas de saúde para crianças e adolescentes. A capacitação, que ocorre desde a última terça- feira, 8, e seguiu até esta quarta- feira, 9,  destinada aos gestores dos 41 municípios do semiárido sergipano que participam da atual edição (2017 a 2020) do Selo Unicef.

Sobrepeso e obesidade, como prevenir e tratar; sífilis congênita e a qualidade do pré-natal; saúde do adolescente; gravidez na adolescência; coberturas vacinais e mortalidade materno-infantil são alguns dos indicadores do Selo que estão na pauta da capacitação, segundo informou a coordenada do evento, a pediatra e especialista em saúde do Unicef, Tatí Andrade. “As discussões visam fazer uma reflexão sobre o que está sendo feito para melhorar os indicadores, o que os municípios podem fazer para obter melhores resultados na saúde dentro destes temas”, revelou.

Explicou a especialista que prefeitos e prefeitas dos municípios que participam do Selo são convidados a assumirem o compromisso de melhorar alguns indicadores e obterem resultados relacionados à saúde, educação e proteção de crianças e adolescentes. A eles são apresentados relatório sobre a situação dos indicadores dos municípios, com a comparação dos resultados de outros do mesmo porte. Na metade da edição, ou seja, em final de 2018, um relatório intermediário contendo a realidade dos indicadores foi entregue aos municípios.

“Observamos, neste relatório intermediário, que alguns indicadores estão melhorando, outros estão estabilizados e outros estão muito preocupantes, não especificamente em Sergipe, como as coberturas vacinais. No final de 2020 vamos fazer uma avaliação geral e após as eleições iremos definir os municípios que serão certificados com o Selo”, informou a coordenadora.

Para o Referência Técnica de Alimentação e Nutrição da SES, Ronaldo Cruz, o Selo Unicef é um impulsionador, um motivador para a implementação das políticas públicas em diversas áreas, inclusive a da saúde. “Um dos compromissos é o de realizar as oficinas de formação de tutores na Atenção Primária na estratégia Amamenta e Alimenta, com o objetivo é apoiar, estimular, promover e proteger o aleitamento materno, desse forma, enfrentando a mortalidade infantil”, destacou.

A coordenadora da Rede Materno-Infantil da SES, Helga Muller, participou do evento. “Trazer a expertise do Unicef para dentro da rede Materno-Infantil do Estado de Sergipe é um ganho. Participamos também apoiando os municípios e o próprio órgão internacional”, disse.

Como um dos pontos em debate foi o indicador ‘cobertura vacinal’, a gerente de Imunização da SES, Sândala Teles, reforçou junto aos gestores municipais a importância de ampliar essa cobertura. “No momento estamos focados na campanha de vacinação contra o sarampo e foi esta fala que trouxe para os municípios, de se empenharem para o cumprimento da meta de imunização”, salientou.

O coordenador de Saúde Bucal do município de Frei Paulo, Vagner Valter Oliveira de Jesus, foi à capacitação representando a secretária de Saúde, Karla Menezes, e garante que este quinto ciclo traz grandes expectativas. . “O Selo Unicef é um avanço da humanidade porque aborda a fase essencial da vida que é de zero a três anos de idade. É universal e traz parâmetros que nos guia na busca da promoção de uma saúde de qualidade para nossas crianças e adolescentes, a partir, principalmente, da prevenção”, assinalou.

Edna São Mateus de Araújo, coordenadora da Atenção Básica do município de Muribeca, salienta que as ações conjuntas propostas pelo Selo podem motivar um salto de qualidade nos serviços de saúde. “Os indicadores não são só números, eles são necessários para a gente avaliar como está a situação de saúde do município, avaliar onde a gente precisa melhorar, fazer ajustes para driblar as dificuldades e replanejar as ações”, considerou.

SES

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta