Alguns dias atrás, a Marinha dos Estados Unidos disse que três vídeos de avistamentos de UFOs publicados há alguns anos são reais e que foram classificados como fenômenos aéreos inexplicáveis. Mas esses eventos não foram realizados apenas por pilotos americanos. No Chile também houve grandes incidentes.

É por isso que hoje nos lembramos do incidente estrelado pelo general da Força Aérea Chilena (FACH) Hernán Gabrielli Rojas. Numa entrevista concedida ao pesquisador Christian Riffo, o general Hernán Gabrielli Rojas afirmou ter observado um gigantesco UFO enquanto renquanto conduzia um voo instrutivo pelos céus do norte do Chile, em 1978

Segundo o militar, o objeto que ele observava era equivalente a 10 ou 15 porta-aviões, e sua presença foi capturada pelo radar de duas aeronaves F-5 e pelo radar do aeroporto Cerro Moreno, em Antofagasta. Esta entrevista foi conduzida pelo jornalista Cristian Riffo.

O que você lembra do contato com o objeto voador não identificado?

– Eu era capitão (1978) e estava em uma missão com dois aviões F-5 duplos. Era meio dia. Eu estava com o capitão Danilo Catalán, nós dois éramos instrutores de vôo. Havia também Fernando Gómez, técnico em eletrônica, e outro aluno. O F-5 tem radar e, de repente, uma linha apareceu de um lado para o outro. Ou seja, um traço na parte inferior da tela. Um traço de um navio, de um navio de cruzeiro, é visto de um centímetro. E essa era uma linha de um lado para o outro. Presumi que o radar havia falhado. E eu disse a Danilo Catalán, mas ele também “falhou” no radar. Então eu disse ao radar terrestre de Antofagasta, e a linha também apareceu nele. Estávamos nessas necessidades quando olhamos para o leste – estávamos voando de norte a sul, no auge de Mejillones – e vimos um objeto como um charuto mal feito. Deformado, como uma banana.

Que tamanho era o objeto?

– Parecia grande e deve ter sido cerca de 15 ou 20 milhas. E estava se movendo na mesma direção que nós. Não carregamos mísseis, canhões ou qualquer coisa. Claro, que o susto foi mais ou menos grande. Havia uma grande coisa cercada por fumaça e da qual emanava vapor. Toda essa história deve ter durado cerca de cinco minutos. Nós nos aproximamos do UFO, mas ele não se moveu, não se afastou ou se aproximou, mas continuou navegando paralelamente a nós. Foi bastante impressionante, porque realmente era algo estranho, e algo sólido estava escondido atrás daquela fumaça.

O que aconteceu depois?

-Então, o objeto desapareceu em direção à Ilha de Páscoa, a uma velocidade impressionante. O céu limpou e as faixas do radar desapareceram. No entanto, havia um dispositivo fisicamente voador. Não é uma história, eu digo a ele. É a única experiência que tive com UFOs.


Nesta fotografia aparecem dois pilotos da Força Aérea do Chile que tiveram encontros com UFOs, Danilo Catalán (Primeiro à esquerda) e Hernán Gabrielli (Último à direita) Fotografia do livro “OVNIs e Forças Armadas.

O que você concluiu com as outras testemunhas do fenômeno?

– Após a colocação dos traços, concluímos que o objeto tinha um tamanho de 10 a 15 porta-aviões alinhados. Ou seja, era um navio de proporções impressionantes. Pode-se apreciar a olho nu. Para se ter uma idéia, outro avião de caça de sete milhas parece um “papa-moscas”. É isso que se deve procurar em combate. E você vê apenas uma linha fina no radar. Este objeto estava indo para o sul, de repente essa coisa sem mostrar qualquer inclinação, moveu-se horizontalmente para o leste e desapareceu em dois segundos.

Existe alguma aeronave que possa fazer isso?

– Não há aeronaves que possam realizar esse deslocamento.

Se estivessem armados, teriam atirado?

Acho que teria chegado um pouco mais perto. Eu estava indo com Danilo Catalán, do qual sou um ótimo amigo. Após a experiência, comentamos “se tivéssemos um par de mísseis, um par de canhões …”. Mas estávamos em uma missão instrutiva e todo o nosso voo foi gravado. Mas se eu tivesse algumas bolas, dois mísseis, para ter alguma proteção …


O General Hernán Gabrielli Rojas afirmou ter observado um gigantesco UFO enquanto realizava um vôo no norte do Chile, em 1978, a bordo de um avião F-5

Se o seu voo foi gravado, existe um registro do UFO?

– O radar não foi gravado no F-5. Naquela época você não podia. Apenas os testemunhos, nada mais ficou.

Algum relatório foi feito?

– Sim, foi feito um relatório. Foi passado para o comandante da brigada naquele momento.

Você tinha medo de voar depois de ver o UFO?

-Não, continuei voando no dia seguinte à tarde.

A FACH acreditou na história que você contou?

– Esse tipo de coisa não acontece com muita frequência. Mas isso é algo inacreditável. Felizmente éramos quatro de nós.

E qual sua opinião sobre o Fenômeno UFO em geral?

– Acho que existem, sempre existiram e estiveram presentes em nossos céus muitas vezes. Há depoimentos de pilotos comerciais, controladores de tráfego aéreo em todo o mundo. Que eles existem, eles existem. Existem pessoas inteligentes em outras galáxias, em outros planetas. Mas não tenho uma explicação racional. O que eu sei é que vi um UFO. Eu vivi a experiência. E não só eu.

Você acha que as Forças Armadas tratam o assunto com ignorância?

Eu acho que sim. Não temos uma explicação racional para a população. Por exemplo, posso lhe contar o que vi. Essa coisa estava fisicamente lá e apareceu no radar. Um fenômeno climático deve ser muito especial para aparecer no radar de um avião. 

Fonte: Lavozdelnorte

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta