Lacen realiza identificação de espécies de caramujos

0
22
Através da pesquisa de caramujos é possível fazer a identificação do agente etiológico da esquistossomose. O trabalho desenvolvido no Laboratório Central de Saúde Pública de Sergipe (Lacen) tem como objetivo colaborar com o controle do diagnóstico da doença parasitária causada pelo Schistosoma mansoni, conhecida como ‘barriga d’água’ ou ‘doença dos caramujos’, além das ações de Vigilância em Saúde.
O laboratório de Parasitologia do Lacen realizou a leitura de 2.763 de lâminas e o estudo em  51 moluscos no período de janeiro a agosto deste ano. O serviço contempla a análise da água para verificar se tem positividade para cercaria e identificação da espécie do molusco, através da aplicação de três técnicas: exposição à luz, esmagamento e a dissecação, etapa final da investigação.
De acordo com a gerente do laboratório de Entomologia e Parasitologia, Karine Dantas Moura Abreu, o trabalho contempla as ações do programa de Vigilância e Controle da Esquistossomose (PVCE) do Ministério da Saúde (MS). “Conforme o fluxograma, os municípios enviam as lâminas para confirmação da leitura feita por eles. E os caramujos ficam em observação por trinta dias para verificar se há liberação da cercaria para confirmação da espécie do Schistosoma”, relatou a biomédica.
Responsável pelo estudo dos caramujos, o farmacêutico-bioquímico, Francisco de Assis Aragão Feitosa, explicou que no Lacen os caramujos ficam em um recipiente expostos a luz, após um período é feita a averiguação da presença da cercaria, esmagamento, que observa a positividade e para fechar o ciclo da pesquisa é feita a dissecação do molusco para a identificação da espécie.
“Esse trabalho que realizamos aqui no laboratório serve para identificação das espécies  Biomphalaria tenagophila, Biomphalaria glabrata e Biomphalaria straminea. O caramujo destas três espécies são os vetores da Esquistossomose”, confirmou Francisco de Assis.
Doença
A esquistossomose é uma doença parasitária causada pelo Schistosoma mansoni.  A pessoa adquire a infecção quando entra em contato com água doce com a presença de caramujos infectados pelos vermes causadores da enfermidade. O contágio ocorre quando os vermes do parasita se prendem nos tecidos do corpo humano, uma vez dentro do organismo da pessoa, eles podem causar sérios danos à saúde, especialmente ao fígado.aúde, especialmente ao fígado

SES

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta