Em alusão ao Setembro Amarelo, o Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio da Rede de Atenção Psicossocial, elaborou a campanha “Conta Comigo” que tem como objetivo despertar o que há de melhor no ser humano, como a empatia, o respeito, a gentileza, a compreensão, a amorosidade, o acolhimento. A Lei nº 8.253, de 17 de julho de 2017, instituiu no estado de Sergipe o mês de setembro como o período para a realização de campanhas de prevenção ao suicídio e estabeleceu as diretrizes para as ações que devem ser integradas envolvendo a população, órgãos públicos e instituições públicas e privadas.

Segundo a coordenadora da Atenção Psicossocial da SES, Renata Roriz, a Organização Mundial de Saúde (OMS) informa que 90% dos casos de suicídio podem ser evitados e é a segunda maior causa de morte entre jovens. “O suicídio é uma morte evitável. As pessoas precisam se importar mais umas com as outras e a empatia torna as pessoas mais humanas. Precisamos refletir sobre a nossa própria humanidade”, comentou a coordenadora.

“Cada pessoa é única e, sendo assim, com modo de sentir e de responder à dor e ao sofrimento de maneiras diferentes. O importante é não julgar, é saber ouvir, elogiar sinceramente, estar atento a quem está ao nosso lado e buscar ajudar quem precisa. As pessoas dão sinais de que não estão bem. Todos, em algum momento da vida, precisam ser acolhidos, e nada supera uma boa conversa”, disse Renata.

As Unidades Básicas de Saúde têm equipes capacitadas e preparadas para receber e encaminhar qualquer pessoa que precise de ajuda, seja criança, jovem, adulto ou idoso. Há, ainda, o Centro de Valorização da Vida (CVV) que realiza atendimento voluntário e gratuito por chat, e-mail ou pelo telefone 188, além da Rede Conta Comigo com informações através do site www.contacomigo-se.com.br.

“É preciso conscientizar toda a população sergipana de que a prevenção, o olhar atento, a escuta humanizada, pode fazer com que salvemos uma vida. Todo problema humano tem que ser respeitado. Podemos achar que é uma bobagem, mas precisamos aprender a ouvir e a respeitar as diferenças e a humanidade de cada um. Quando percebemos que uma pessoa não está bem devemos perguntar se está precisando de ajuda e encaminhar a uma Unidade Básica de Saúde. Então, o Setembro Amarelo é muito mais para mostrar que a gente não pode perder para o suicídio. O Setembro Amarelo é para a gente perceber que pode se importar e ajudar os outros”, concluiu Renata.

Dicas para desenvolver a empatia

– Acolher com amorosidade
– Ouvir sem julgar, deixar o outro falar sem interromper
– Elogiar sinceramente
– Estar atento ao comportamento de quem está próximo
– Respeitar as diferenças
– Convidar aquele amigo que precisa conversar para tomar um café
– Dar um tempo nas redes sociais para escutar os mais velhos
– Exercitar a capacidade de compreender e compartilhar

SES

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta