A qualidade da água utilizada no tratamento de Diálise é essencial para o tempo de sobrevida dos pacientes. Dessa forma pode ser um fator importante para o sucesso do tratamento. Neste sentido, a Vigilância Sanitária órgão da Secretaria de Estado da Saúde (SES) e a sua gerência, a Vigilância Ambiental, em parceria com Laboratório Central de Saúde Pública de Sergipe (Lacen), iniciou nesta segunda-feira, 2, um trabalho inédito que consiste na análise das águas das clínicas Sergipanas que realizam Hemodiálise.

 A ação, de acordo com o coordenador da Vigilância Sanitária, Ávio Britto, tem como propósito ser contínuo. “A vigilância do Estado nunca fez esse trabalho que está sendo feito, ou seja, as visitas a todas as clínicas de Hemodiálise. Começamos ontem por uma das clínicas de Aracaju, com o apoio da Vigilância do município, a equipe fez o recolhimento da água e fiscalizou toda a estrutura dessa clínica. Será um trabalho rotineiro. Além das clínicas de Aracaju, também há Hemodiálise no município de Estância e em Itabaiana”, contou.

Segundo a gerente de Serviço e Saúde da Vigilância Sanitária, Tereza Cristina Maynard, o serviço de Hemodiálise têm por obrigação enviar para a Vigilância Sanitária suas análises de água. A gerente salienta que a água é prioridade nos serviços de Hemodiálise, logo se estiver contaminada existe um risco maior para os pacientes.

Pensando nisso,houve o alinhamento da Vigilância Sanitária com o Lacen, conta Tereza. “Nós sentamos com o Lacen Sergipe em algumas reuniões para que além de receber as análises dos serviços de Hemodiálise, também fosse possível fazer o monitoramento da qualidade dessa água. Assim vamos fazer a análise fisicoquímica, análise bacteriológica e bactérias heterotróficas. Já a endotoxina será enviada para o Lacen de Pernambuco através do Lacen Sergipe”, disse.

O gerente da Vigilância Ambiental da SES, Alexsandro Bueno, conta qual é o papel da Vigilância Ambiental no processo.  “A Vigilância Ambiental acompanha para fazer uma avaliação da água do estabelecimento, sendo possível que os dados sejam confrontados. A gente também faz esse monitoramento tanto nas coletas que a própria vigilância e na avaliação do relatório que a DESO nos envia mensalmente. Existem parâmetros de qualidade que são avaliados juntos com esses dados produzidos pela Vigilância”, destacou.

O cronograma foi montado e a perspectiva é que os trabalhos sejam finalizados neste dia 4 de novembro. Vale ressaltar que o monitoramento é quinzenal e essas amostras devem ser enviadas para Pernambuco. A responsável pela inspeção no serviço de hemodiálise da Vigilância Sanitária, Maria das Graças Barbosa, explica os procedimentos realizado na vistoria.

“Antes do tratamento fomos no pré tratamento, ou seja, como a água chega da Companhia de Saneamento de Sergipe (DESO), depois fizemos uma coleta no pós- tratamento, por fim realizamos também quando a água sai para as máquinas, no setor que chamamos de reuso, são nestes três pontos que a legislação preconiza que as clínicas devem fazer todos os meses e mandar para gente. Então tínhamos a necessidade de fazer também. Chegado o resultado, e sendo positivo notificamos a clínica para tomarem providência e assim corrigir as inadequações”, explicou.

SES

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta