O Hospital Regional de Propriá (HRP), gerenciado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), atende 16 municípios da região do Baixo São Francisco no estado de Sergipe. No primeiro semestre de 2019 a Unidade realizou 47.531 atendimentos no Pronto-Socorro, 119.584 procedimentos clínicos, 529 partos, 491 cirurgias eletivas e 261 cirurgias e atendimentos ortopédicos. Em comparação ao mesmo período em 2018 foram atendidos 6701 pacientes a mais, o que corresponde a cerca de mil pessoas acima da quantidade média por mês.

De acordo com a superintendente do Hospital Regional de Propriá, Patrícia de Britto, o crescimento não se manteve apenas nos atendimentos de porta, desse quantitativo, aproximadamente 60% foi de clínica médica, seguido da pediatria, ortopedia, cirurgia geral e maternidade.

“O nosso grande boom desse ano foi nas cirurgias eletivas. No ano passado tínhamos uma média de 50 a 70 cirurgias realizadas por mês, e a média de hoje é de 90 a 100 cirurgias por mês, tanto que neste ano nós tivemos um acréscimo de 104 cirurgias a mais, ou seja, 104 pacientes tiveram seus problemas de saúde solucionados através das cirurgias eletivas que, normalmente, são as histerectomias, hérnias umbilicais e inguinais e vesícula, a maioria dos nossos procedimentos eletivos, mas a gente também retira pequenos cistos, faz vasectomia, laqueadura, em menores quantidades”, explicou Patrícia.

A superintendente comentou que é importante ressaltar que o pronto-socorro está executando, diariamente, de 300 a 350 atendimentos, ou seja, o número de pacientes de perfil ambulatorial que poderiam ser atendidos nos Postos de Saúde, permanece.

“Mesmo com alguns municípios da região já tendo conseguido compor suas equipes, os pacientes ainda continuam se encaminhando ao HRP, o que configura a credibilidade que as pessoas têm no atendimento da unidade por saber que serão bem atendidas, porém, mesmo com esse aumento, o padrão de profissionais da parte médica continua o mesmo, não houve acréscimo de profissionais, mas o hospital tem feito de tudo para atender a todos de acordo com o suporte, tanto físico quanto estrutural, da Unidade”, reforçou a superintendente.

Boa notícia

A Maternidade, que hoje tem a entrada pela porta principal, receberá um acesso exclusivo de forma que as parturientes não passem pela urgência do Hospital. “Hoje estive com o a equipe da infraestrutura para dar andamento ao projeto que irá diferenciar a entrada das parturientes. Haverá uma entrada diferenciada, com uma portaria especial para as gestantes terem acesso à maternidade. Esse projeto foi pontuado na última visita do Secretário aqui na nossa Unidade, junto com a vice-governadora, e tudo indica que em 15 dias a obra será iniciada. É um grande ganho para as gestantes do baixo São Francisco”, concluiu Patrícia.

Atualizado: 

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta