Não se pode coletar dados de eleitores como endereço, nome e documentos ou filiação, apenas idade…

Uma denúncia que pode chegar aos meios judicias em Propriá pode apontar que uma recente pesquisa de opinião pública eleitoral no município teve como intenção coletar dados de eleitores pesquisados e a visita em seus estabelecimentos residências. A informação é de uma figura da política local que faz o alerta.

Segundo a informação, alguns cidadãos foram visitados por um pretenso pré-candidato após seus nomes e endereços serem coletados no ato da pesquisa. A visita teria acontecido em razão de que a opção do eleitor foi por afirmar não votaria em determinado candidato da pesquisa”. Grave para o processo democrático e eleições limpas.

Tudo leva a crer que a pesquisa é orientada e com fator de indução ao eleitor e ainda de promessas. É uma orquestração política com o agravante de, possivelmente, “intimidação”. Até o momento a informação é de que foram feitos quatro pesquisas e nenhuma registrada.

Se proceder, a situação deve ser um caso para investigação por parte da justiça na finalidade de manter as eleições municipais limpas e para a plenitude da democracia. É crime. O nome dos envolvidos não foram revelados e a fonte solicitou sigilo também.

Por Adeval Marques
Arte: Propriá News

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta