METADADE DOS JOVENS COM FORMAÇÃO SUPERIOR, OCUPADOS, ESTÃO EM POSTOS DE TRABALHO DE MENOR QUALIFICAÇÃO(IPEA). UMA PESPECTIVA PARA OS JOVENS DE PROPRIÁ-SE

O Brasil conta com aproximadamente 13 milhões de desempregados, que têm permanecido cada vez mais tempo nessa situação. Os mais jovens continuam sendo os mais afetados. Além de registrar uma retração de 1,3% na ocupação no trimestre móvel encerrado em janeiro, o grupo entre 18 e 24 anos possui a menor probabilidade de ser contratado e tem a maior chance de ser demitido. (IPEA).

Outro dado alarmante, segundo o mesmo Instituto, é que nos últimos quaro anos o total de jovens com nível superior em funções incompatíveis com a sua escolaridade subiu mais de 6%, chegando a um percentual de 44,2% de pessoas subutilizadas, ou seja, que estão em postos de trabalho aquém de suas competências.

Estes dados são levantados em nível Brasil, abrangendo regiões desenvolvidas e industrializadas, que certamente oferecem maiores oportunidades de emprego e renda para as suas populações. Então, trazendo para a nossa Cidade, onde em uma população de 29.559 hab., temos apenas 3.884 pessoas economicamente ativas, recebendo uma remuneração média de R$1,6mil, (dados do IBGE), ocupando a 68ª posição em 75 municípios do Estado, a perspectiva de sucesso profissional para os nossos jovens é ainda muito menor.

É necessário que a nossa sociedade reflita sobre este problema, discuta e busque soluções.  Já temos algumas instituições de ensino superior na cidade ofertando diversos cursos, o que é muito bom, pois a educação é a principal base para o desenvolvimento de uma região, mas é importante que haja estímulo e segurança ao jovem que investe na sua formação. Precisamos reter os talentos aqui formados para que contribuam com um futuro promissor para Propriá.

Andei por ruas, bairros, distrito industrial a observar, de forma crítica, onde poderiam os jovens que estão a sair das faculdades, os recentes Contabilistas, Administradores, Gestores de TI, Fisioterapeutas, enfim, todos aqueles que receberam ou receberão seus diplomas serem colocados no mercado de trabalho local e não consegui identificar boas oportunidades. Sendo mais prático, um profissional de vendas internas, venda atrás de balcão, que está se formando em Administração, o que vai fazer após a conclusão do seu curso? Continuar na mesma função ou sair da cidade em busca de melhor oportunidade? Empreender poderia ser a resposta, mas ai também entrariam diversas outras variáveis que poderão ser discutidas em outro momento.

Luiz Antônio Sandes Vieira
Administrador, Pós Graduação em Gestão de Negócios UFPR/MBA Altos Executivos USP, Especialista em Recursos Humanos.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta