Ministério Público engrossa proibição de lavagens de veículos na rampa do Mangaba

No último domingo, 10/fev, um flagrante foi registrado na rampa do Mangaba: a lavagem de veículos. O Fato desrespeitoso que continua acontecendo em Propriá plena rampa do histórico “Bar O Mangaba”, que fica às margens do Rio São Francisco, vem chamando a atenção das pessoas que ali fazem caminhadas matinais. Falta consciência, fiscalização, educação e sobra desrespeito por parte dos que fazem uso das lavagens.

No local foi fixada uma placa sinalizada pelo órgão do Ministério Público proibindo a prática. O óleo dos veículos causam danos ao rio e sua vida aquática e vegetal. É uma questão de agenda mundial sobre a proteção, preservação e poluição ao meio ambiente dos quais os rios fazem parte.

O Promotor de Justiça, Dr. Nilzir Soares Vieira Júnior, se mantém atento sobre o desrespeito e recebendo denuncias de cidadãos que se perguntam sobre a fiscalização e punição aos infratores. Ele deve engrossar ainda mais as determinações e cobrar fiscalização mais rigorosa.

Reforça-se que, lavar veículos em qualquer parte das margens do rio é criem ambiental. Existe uma Ação Civil Pública de nº 200856000874 que penaliza quem infringir a determinação.

Por Adeval Marques
Foto: internet

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta