Prefeitura de Propriá fecha 2018 pagando mais de R$ 12 milhões aos servidores e comemora outros índices

0
63

O Município de Propriá, que já foi a segunda economia do Estado de Sergipe, nas décadas de 40, 50 e 60, têm hoje sua receita de repasses do Governo Federal e outros gerados nela mesma. O PIS, Cofins, IPVA, ICMS, IR, ISS, FPM, royalties, etc, fazem a composição das finanças. Essas siglas juntam o montante de um pouco mais de R$ 4.5 milhões/mês. Administrar Propriá não é fácil. A desatenção para com ela é histórica.

Os dados oficiais do IBGE estima que 29.559 pessoas integram a população do Município. Há quem defenda que esse número não expressa a realidade cujo número já passou em muito a casa dos 30 mil habitantes. Propriá está em décimo lugar no Estado em número populacional, fonte IBGE. Se a população aumenta, por conseguinte a rede de serviços públicos em áreas primordiais como Educação, Saúde, Infraestrutura, mobilidade urbana, segurança, etc, precisam funcionar a contento. Nessa linha, há uma área que chama a atenção: geração de emprego e renda, um assunto muito debatido, mas que há anos os avanços não são demonstrados como índices melhores. A Prefeitura e o setor do Comércio continuam sendo os maiores empregadores, sendo que da Prefeitura existe uma forte dependência de toda malha da economia local. Sem o pagamento em dia do funcionalismo público municipal, toda rede sofre forte abalo. Bastaria o menor atraso no pagamento de um ou dois meses de salário para o caos e revolta começar, a História já registrou tais fatos.

Em dois anos de administração do Prefeito Iokanaan Santana, Propriá não registra reclamação de atraso de salários. Em 2018 foram contabilizados mais de R$ 12 milhões de depósitos nas contas de funcionários da administração. Em funcionários comissionados, contratados e efetivos o número passa de 700 trabalhadores. Décimo Terceiro e férias também entram na soma perfazendo assim mais de R$ 20 milhões nos dois anos. Promessa de campanha, planejamento e responsabilidade somadas provam esse resultado.

A circulação desse montante de R$ 12 milhões em Propriá provoca resultados positivos visíveis, dos quais o comércio, indústria e prestação de serviços obtiveram condições de programar. Essa confiança vem sendo depositada na atual administração desde o primeiro mês de 2017 quando a Prefeitura recebeu o novo ordenador de despesas, Iokanaan Santana. Nessa mesma linha estão os pagamentos de fornecedores, prestadores de serviços, aluguéis de imóveis e toda manutenção pública. A tradução para esse feito é planejamento e responsabilidade. “Minha luta é por não faltar pão na mesa do meu povo. O restante nós vamos administrando com as condições que temos. O tempo dirá que estamos no caminho certo”, disse o Iokanaan Santana em certa ocasião. É visível que não surgiram grandes obras estruturantes. Há omissão de amizade por parte do Estado até agora. O Governo Federal é apenas o chefe maior da nação e esqueceu que Propriá carece de auxílio, embora recebeu algumas emendas nos dois anos: 2017 e 2018.

Até o momento não é sabido qual rumo de planejamento será executado para 2019 por parte da gestão Tempo de Reconstruir. Haverá ou não redução de secretarias e pessoal como as expectativas afirmam? Entretanto, a certeza é que não há estímulo de receita, ou seja, com a entrada do novo Presidente da República, Jair Bolsonaro, toda estrutura financeira do País está sendo repensada e ano será de ajustes e por isso os municípios devem acompanhar o determina a presidência. A economia do Pais deve aquecer no final do ano, dizem os especialistas. Vento que virão.

A folha de pagamento de Propriá há alguns meses deixou a casa de R$ 1.9 indo à 2 milhões proveniente das mesmas fontes – FPM – já citadas que oscilam. A Lei de Responsabilidade Fiscal é um vetor para o aumento de pessoal […]. Mudanças virão? Não se sabe, porém, a gestão de Iokanaan chega a sua metade do tempo administrativo podendo comemorar porque promoveu bons índices na Educação que avançou para outra classe; a Saúde oferta uma vasta gama de serviços todos a contento público; limpeza urbana, recuperação de ruas, cumprimento da política pública por parte dos órgãos da SMTT e Guarda Municipal, promoção de cursos pela pasta de Indústria e Comércio, Fazenda planejada e a Assistência Social com os aparelhos do CRAS, Creas e outros serviços em pleno funcionamento indicam que, mesmo com a falta de recursos, Propriá vem sendo bem administrada e por isso precisa manter e avançar, regredir, jamais.

Por Adeval Marques
Foto: Asscom

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA