FPI resgata 11 mil peixes e camarões extraídos irregularmente entre Penedo e Neópolis

0
13

Onze mil peixes e camarões extraídos do Rio São Francisco de forma ilegal foram resgatados durante a atuação da equipe Aquática da Fiscalização Preventiva Integrada da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, realizada nesta segunda-feira (11) nos entre as cidades de Penedo, em Alagoas, e o Povoado Saúde, em Neópolis, Sergipe.

A fiscalização apreendeu também 2.288 covos feitos com tala plástica e espaçamento inferior ao permitido. O covo é uma armadilha feita artesanalmente e usada para a captura, em especial, do camarão. No entanto, durante a 9ª etapa da FPI do São Francisco, os fiscais têm apreendido o material fora dos padrões recomendados, o que representa uma ameaça às espécies. Isso porque, em virtude do espaçamento diminuto entre as talas, a armadilha acaba capturando animais muito pequenos e, com isso, impedindo sua perpetuação.

Os covos apreendidos foram destruídos. Já os camarões e peixes que estavam no interior das armadilhas ilegais foram soltos em local distinto daquele onde se deu a apreensão.

Rivaldo Couto analista ambiental do Instituto Brasileiro e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), que integra a FPI, e coordenador da equipe Aquática. Ele faz um alerta sobre o desequilíbrio que a pesca predatória é capaz de provocar no ecossistema.

“Apesar de termos encontrado muitos covos fabricados com talas de origem vegetal, os mesmos apresentavam espaçamento muito inferior ao permitido. Felizmente, tivemos uma demonstração de que a matéria-prima para fabricação dos covos tradicionais ainda é encontrada, apesar de os pescadores insistirem na confecção dos covos altamente predatórios, com quase nenhum espaçamento, de modo a capturar espécies muito jovens”, analisa o coordenador.

A equipe 4 da FPI do São Francisco – que segue com ações de fiscalização nesta terça-feira (13) – também é composta por membros da Marinha, Batalhão de Polícia Ambiental (BPA) e Instituto do Meio Ambiente (IMA).

por Redação com Assessoria

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA