Representantes do Baixo São Francisco, em Propriá, recebem o vereador Isac

0
53

Na próxima terça-feira, dia 05, é comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente, que foi criado pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 15 de dezembro de 1972, na Suécia. Este dia serve para que atividades de proteção e preservação do meio ambiente sejam desenvolvidas, para ar governos e população sobre a necessidade de implantar medidas que previnam a degradação do meio ambiente.

Atuante e preocupado com as questões ambientais, o vereador Isac Silveira (PCdoB) apresentou, no ano passado, na Câmara Municipal de Aracaju, o projeto de lei de número 100, que previa a recuperação de rios, afluentes e canais de Aracaju, e que foi discutido, aprovado em plenário, e sancionada a Lei 4.937, mas neste ano a lei teve seus efeitos suspensos. “Infelizmente a Procuradoria Geral do Município entrou com uma ação direta de inconstitucionalidade no Tribunal de Justiça de Sergipe, e com votação unânime a vigência da lei foi suspensa. Mais uma vez Aracaju foi jogada a sua própria destruição, com poluição para todos os lados”, conta Isac.

No dia de hoje o vereador Isac pegou a estrada e foi recebido por moradores da cidade de Propriá, no interior do estado para conversar sobre meio ambiente. O membro do comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, José Bonifácio, apresentou o trabalho que vem sendo desenvolvido em Sergipe e em outros quatro estados. “Nosso empenho e construção começam por conscientizar a população, sobretudo, os donos de terras da importância da revitalização desses lugares. Ao todo são 505 municípios onde cuidamos, isso vai da nascente a foz do Rio São Francisco. O recurso que recebemos é pouco e precisamos cada vez mais da participação popular”, explica Bonifácio.

“São os moradores do interior do estado que sabem e podem dizer, com propriedade, os problemas enfrentados no dia-a-dia. Então hoje estive reunido com alguns da cidade de Propriá e conversamos sobre o Rio São Francisco. Precisamos ouvir quem conhece a realidade. Parabéns a todos os irrigantes e pescadores que fazem a revitalização do rio que vai da nascente a foz, o lugar dá orgulho de ver”, comenta o vereador.

Os moradores também aproveitaram o momento para falar sobre as dificuldades vividas e a falta de oportunidades. “Nossa cidade parece que não se desenvolve. Temos filhos e alguns não conseguem trabalho. Somos pescadores e sustentamos nossas famílias desse trabalho, mas claro que se todos tivessem outro ganha pão seria bem melhor”, desabafam os pescadores.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta