Problemas técnicos inviabilizam testes para reduzir vazão do São Francisco

0
76

Os testes que deveriam ser realizados a partir desta semana, para reduzir a vazão do rio São Francisco, nos reservatórios de Sobradinho, na Bahia, e de Xingó, entre os estados de Alagoas e Sergipe, foram suspensos, por dificuldades técnicas. O anúncio foi feito na manhã desta segunda-feira (22 de maio), durante mais uma reunião promovida pela Agência Nacional de Águas (ANA), em Brasília (DF) e transmitida por videoconferência para os estados da bacia. Com isso, a defluência atual, de 700 metros cúbicos por segundo (m³/s), continua sendo praticada, enquanto o novo patamar, de 650 m³/s não começa a vigorar.

O pacote de medidas proposto pela ANA para redução das vazões até o limite de 540 m³/s, que deveria ser discutido na videoconferência, acabou não acontecendo. O motivo está nas dúvidas existentes nos aspectos da operação e a falta de consenso quanto às formas operacionais. Do ponto de vista prático, a adoção das reduções cria problemas técnicos que não podem ser resolvidos imediatamente. Além disso, a maioria dos estados que participam da videoconferência limitou-se a admitir as medidas, sem maiores considerações.

A dificuldade técnica para início dos testes deverá se agravar ainda mais, pois já existem problemas nas turbinas geradoras de energia e o período de testes deverá ser ainda mais alongado. O pacote de medidas proposto pela ANA também foi apresentado na semana passada, durante a XXXII Plenária Ordinária do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF), em Recife (PE).

Apesar de ser um dos estados interessados na questão, a representação do governo de Alagoas não participou das discussões. Na próxima semana acontecerá nova reunião de avaliação das condições hidrológicas da bacia do São Francisco.

Grupo de Acompanhamento – Propostas ANA

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta