Reunião na Codevasf debate Canal de Xingó

0
78

O ex-deputado federal José Carlos Machado esteve na Companhia para discutir demandas da obra 

Um dia após a celebração do Dia Mundial da Água, comemorado em 22 de março, uma reunião na Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba – Codevasf – tratou de um aspecto importante do tema: a crise hídrica pela qual passa o Estado de Sergipe e, claro, as soluções para ela, que, hoje, passam, inevitavelmente, pela construção do Canal de Xingó. 

A reunião foi motivada pelo engenheiro José Carlos Machado, ex-prefeito de Aracaju e ex-deputado federal por Sergipe, que foi prontamente recebido pelo superintendente da Companhia, César Mandarino, e contou com a participação dos técnicos Carlos Hermínio, engenheiro civil e responsável pelo Canal de Xingó; Orlando Tavares, gerente Regional de Infraestrutura, e Oscalmi Porto, gerente Regional de Revitalização. 

O debate teve o tom sério e urgente que a crise demanda. “Não demos a importância que o Canal de Xingó deveria ter. Fomos omissos em todos esses anos”, ressaltou José Carlos Machado. Orlando Tavares concorda. “A tecnocracia é absurda, excessiva. Temos mesmo que fazer uma ‘mea culpa'”, destacou. 

E é aí que o argumento de Machado encontra sustentação. “Se outros Estados conseguiram recursos antes, porque não conseguimos também? Porque não demos à obra a devida importância dela”, reitera. Mas, para Machado, o que importa, agora, é definir o que será feito daqui pra frente.

O Canal deverá irrigar áreas dos Estados de Sergipe e da Bahia e equacionar definitivamente o problema hídrico do abastecimento humano em solo sergipano. Mas a preocupação de Machado é com o fato de, pela captação ser em Paulo Afonso IV, o início das obras se dará no Estado da Bahia. “Temos de dar um jeito de assegurar que o início das obras contemple trechos em Sergipe também”, destaca.

No próximo dia 31, Machado participará de outra reunião sobre o tema, na Associação dos Engenheiros Agrônomos do Estado de Sergipe – Aease –, que contará com a presença da Diretoria Nacional da Codevasf e da bancada federal sergipana. “Já perdemos muito tempo. Agora, temos que trabalhar para fazer desse um projeto uma realidade, independentemente de vaidades políticas”, afirma.

Por Tanuza Oliveira
Jornalista

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta