Rio São Francisco receberá 600 mil alevinos de várias espécies

0
139
Propriá/SE – O primeiro peixamento de 2017 feito na porção sergipana do rio São Francisco pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) teve a soltura de 210 mil alevinos. A ação foi executada em Neópolis como parte dos festejos de Bom Jesus dos Navegantes; foram 180 mil alevinos de curimatã e 30 mil da espécie piau lançados no leito do Velho Chico.
O fornecimento de alevinos e o repovoamento foram realizados pelo Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Betume (CIB), unidade da 4ª Superintendência Regional da Codevasf localizada em Neópolis. Além de contribuir para a manutenção do estoque pesqueiro na bacia hidrográfica do São Francisco, os peixamentos são uma importante ação de educação ambiental nas comunidades ribeirinhas.
O engenheiro de pesca Iru Guimarães, analista em Desenvolvimento Regional do CIB, afirmou que a expectativa é de que mais de 600 mil alevinos sejam lançados no rio São Francisco até o final de janeiro. “Estamos aguardando apenas a oficialização dos pedidos de alguns municípios da região, mas tradicionalmente realizamos vários peixamentos durante as festas de Bom Jesus dos Navegantes em Sergipe”, declarou.

Modernização de unidade
Em 2016, o Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Betume produziu aproximadamente 1,9 milhão de alevinos. O estoque foi utilizado em peixamentos realizados nos municípios de Cedro de São João, Ilha das Flores, Japaratuba, Neópolis, Pacatuba, Propriá e Neópolis. As espécies produzidas na unidade durante o ano passado foram a curimatã, o tambaqui e o piau.
Durante o ano, a Codevasf atendeu a 12 solicitações de apoio e assistência técnica de produtores, associações e prefeituras em Sergipe, identificando áreas para peixamento, avaliando qualidade da água e prestando assistência para criação de peixes em tanques-rede. Outras ações realizadas pela CIB incluem a análises laboratoriais, participação em cursos e eventos, realização de visitas técnicas e produção de trabalhos científicos.
Atualmente, a Codevasf executa a segunda etapa das obras de ampliação e modernização do Centro Integrado de Betume, que deve resultar em aumento da capacidade de produção para 8 milhões de alevinos por ano. Resultado de um investimento de R$ 2,7 milhões, a obra inclui a construção e reforma de viveiros, a pavimentação de vias de circulação interna, a reabilitação do sistema de captação e a reforma do reservatório de compensação. Em 2016, foi concluída a primeira etapa das obras, após investimento de R$ 1,1 milhão.
Ao todo, a Codevasf possui sete Centros Integrados de Recursos Pesqueiros e Aquicultura em estados situados na bacia do rio São Francisco.
“Além de promoverem a recomposição da ictiofauna dos rios com os peixamentos, os centros apoiam a inclusão produtiva por meio de capacitações, fomento e incentivo à criação de peixes em tanques-rede e viveiros escavados, o que possibilita o surgimento de pequenos aquicultores e também reduz o esforço de pesca sobre algumas espécies mais visadas, ajudando a garantir a manutenção dos estoques pesqueiros”, observa o chefe da Unidade de Pesca e Aquicultura da Codevasf, Leonardo Sampaio.

Fonte: Codevasf
Foto: Ilustrativa

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA