Ladeira da Escola Técnica: perigo de acidente e risco de vida

0
115

Na análise geral a solução é de que deveria ser asfalto

Condutores de veículos de médio porte tem evitado subir a travessa conhecida por “Ladeira da Escola Técnica” que fica localizada no centro da cidade ao lado do IFS.

Ladeira histórica na cidade ela possui geografia íngreme e uma extensão de mais de cinquenta metros. A dificuldade para alcançar o topo é grande exigindo dos veículos a primeira marcha e dos motoristas atenção e habilidades. Há indícios e relatos de quase acidentes grave ao longo da sua história.

Para dificultar essa subida a ladeira registra alguns buracos ou declives acentuados nas pedras do paralelepípedo que envelheceu com o tempo e já não mais oferecem a aderência necessária aos pneus dos veículos, ciclomotores ou até mesmo bicicleta.

Ao tentar subir pela famosa ladeira o veículo começa a patinar sem que avance ladeira acima. Em dias em que há chuva ela é evitada até por motociclistas e vários foram os casos em que condutores tiveram que voltar em marcha ré por não conseguirem subir se expondo em situação de risco. Felizmente é apenas mão única.

A solução, segundo observa os próprios condutores, seria que a ladeira fosse asfaltada ou recebesse uma recuperação em toda extensão e assim oferecesse condição de viabilidade aos que dela fazem uso por ser uma via de ligação nas imediações entre o centro e outras ruas e avenidas. Nesse ponto, observa outro proprietários de veículo, não se faz ideia do por quê ela não foi asfaltada na época da administração do então Prefeito Renato Brandão quando a cidade teve diversas ruas contempladas com o asfalto.

No quadro atual a Prefeitura Municipal espera que o Governo do Estado de Sergipe possa asfaltar o trecho da entrada Norte da cidade, pegando da cabeceira da ponte que dá acesso ao Município de Telha, até as imediações do Colégio Joana de Freitas Barbosa “Poly Valente”, entretanto e apesar do acordo firmado, o Governo ainda não emitiu o início da pavimentação asfáltica. Nesse aspecto a situação da Ladeira da Escola Técnica poderia ser contemplada. Seria uma questão de atenção e interesse pelo Estado.

O Vereador Jurandy Sandes vem analisando a situação há algum tempo e pretende solicitar ao Município rever alguma situação que amenize o risco de acidentes no local. Para ele uma das saídas seria fazer um paliativo até a chegada do asfalto.

A esperança é de que as próximas administrações municipais revejam a situação e, no mínimo, tentem fazer uma recuperação para a via e assim ela possa oferecer condições seguras para o tráfego sem que haja risco de acidentes.

Da redação
Adeval Marques
Graduado em História / Unit

Obs: Matéria de utilidade pública

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA