PROJETO DE OPOSIÇÃO POLÍTICA AO PREFEITO ZÉ AMÉRICO TEM COMO BASE UNIÃO DE EX-ALIADOS

0
325

A relação vem sendo chamada de “Américo Lista” e tem ganho repercussão após o pronunciamento de Fernandinho

Um forte grupo para competir nas eleições municipais de 2016 na cidade de Propriá pode estar em curso e ter o apoio de ex-cabos eleitorais que ajudaram a consagrar o atual Prefeito José Américo Lima (PSC) no poder.

Segundo a informação e análise de uma personalidade política da cidade o Prefeito José Américo foi injusto ao chegar no poder e não manter vários aliados ao seu lado na condução política e de projetos para Propriá, como se era esperado. Na análise da pessoa o Prefeito tem um grande problema em reconhecer e valorizar a grande maioria dos que o ajudaram. Não fez as mudanças que o Município de Propriá precisa para crescer; não promoveu melhorias na qualidade de vida; foi leniente quanto à tomadas de decisões perante a esfera do Estado e Federal para angariar recursos e fazer de Propriá um pouco melhor para viver. É a postura de tantos que o acompanharam e, diante de tal postura do Prefeito, não existe outro meio a não defender outro projeto de governo para Propriá onde o bem coletivo e espírito de grupo prevaleça, disse.

Na Sessão Ordinária da última quinta-feira, 28/04, o Vereador Fernandinho Britto (PDT) fez um longo discurso e relatou vários desses nomes que deram sustentação política ao Prefeito José Américo em 2012 e foram injustiçados. São pessoas de grande idoneidade. Conhecedores da problemática social que o Município vive e são capazes de dar sua contribuição por uma construção no campo do desenvolvimento e social. Ao invés de aproveitamento da boa qualificação de grande parte desse material humano local o Prefeito nomeia mão de obra externa numa clara expressão de desprezo e ridicularizarão dos que o ajudaram ao Poder Executivo. A palavra encontrada por Fernandinho foi de “injustiça”.

Jackson Oliveira, que teve quatro mandatos como Vereador e chegou a ser Presidente da Câmara Municipal e sendo ainda Secretário Municipal de Obras; Lenildo, ex-Vereador por dois mandatos; Erasmo, ex-Vice-Prefeito, ex-Vereador e Ex-Secretario na gestão do ex-Prefeito Luciano e ex-Prefeito Paulo Britto e também com o próprio José Américo. Elizabet, ex-Vereadora por quatro mandatos e ex-Secretaria na gestão do ex-Prefeito Renatinho, Paulo Britto e José Américo. Irani, petista histórica, suplente de Vereadora e ex-Secretária na gestão de José Américo, Charles Souza, ex-Secretário na gestão de Paulo Britto e José Américo. Beto Chaves: ex-Vereador por três mandatos, ex-Presidente da Câmara municipal e ex-Secretário na gestão do ex-Prefeito Paulo Britto. Jorge Sat: Ex Vereador e ex-Secretário na gestão do ex-Prefeito Paulo Britto; Pel, ex-Vereador e atual Primeiro Suplente de Vereador; Patrício Lessa, comunicador e Primeiro Suplente de Vereador; Jaldilene, ex-Secretária de Assistência Social; Ariosvaldo, ex-Secretario de Obras; Noílio Baltazar, ex-Vereador e Ouvidor, também com experiência de ex-Secretário Municipal de Obras; Cleomara, militante histórica do PT; Mércia Simone, enfermeira e ex-Secretária Municipal de Saúde; Jefferson Lúcio, ex-Secretario de do Departamento de Controle Interno na gestão do ex-Prefeito Paulo Britto e José Américo; Elenice Reis, ex-Secretária na gestão do ex-Prefeito Luciano de Menininha, Paulo Britto e José Américo. São ao todo dezessete pessoas citados pelo Vereador, entretanto, o número é ainda bem maior dos que o ajudaram e estão fora.

Numa versão do “The Schindler list”, é a relação apresentada pelo Vereador Fernandinho, de forma pública, foi batizada de “Américo Lista”, também chama da de “Lista da Injustiça”.  O Vereador, ao emiti-la em em seu discurso, não vem solicitar pedido de emprego para tais pessoas. É apenas o manifesto de um parlamentar que defende o princípio da justiça e sob a ótica do quanto eles, os “Américo Lista”, poderiam ajudar, tanto de forma política quanto administrativa. Os citados são pessoas de condições de prover com suas manutenções e assim o fazem.

Nesse aspecto há outras correntes, linhas de pensamentos, que afirmam de Zé Américo ter cortado “vícios” de perpetuação no poder por algumas pessoas que, de forma histórica, sempre estiveram na administração e dessa forma rompeu com essa “cultura” dando espaço a outros que também são merecedores e “custam” menos. Por esse viés Zé Américo desagrada, diz um dos entrevistados.

Entretanto o que predomina é a crítica à gestão de Américo e as articulações políticas que já começam a se formar em torno do mais novo projeto local dificultaram a sucessão da pré-candidata Ninha da Feira que precisa ter, além de muita habilidade e jogo de cintura, reverter a imagem para angariar apoio em um dos cenários de sucessão políticos que se vislumbram como um dos mais complicados na política do Estado de Sergipe.

Da redação
Adeval Marques
Graduado em História / Unit

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta