AS LIXEIRAS EM PROPRIÁ: FALTA DE EDUCAÇÃO E DE GESTÃO PÚBLICA

0
376

A desatenção da Prefeitura Municipal de Propriá em rever o acúmulo de entulhos e lixo que estão a cada dia aumentando no entorno do antigo Tiro de Guerra é de chamar a atenção de toda sociedade.

Se de um lado falta educação por parte dos que depositam o lixo no local pelo outro pode-se dizer que, até o momento, existe desatenção e negligência quanto a resolução da situação. É questão de educação e saúde pública.

No dia 04 de março o site Propriá News publicou uma matéria com título: “Acumulo de lixo na região do Tiro de Guerra preocupa moradores” (Confira a matéria no site aqui). Nela evidenciamos a situação em forma de denúncia e até o momento nada foi feito.

Anteriormente publicamos também a seguinte matéria: “Descaso em Propriá: lixo, poluição visual e desrespeito na entrada da cidade” (Confira a matéria aqui). Nesta matéria a situação diz respeito ao acúmulo de lixo nas imediações da estrada da sementeira bem na entrada da cidade na saída para o Município de Telha. Nesse caso a situação teve um pequeno paliativo e voltou a crescer o depósito de lixo no local. Em ambos existem placas de advertência que parecem não dizer nada e muito menos intimidar. É uma questão de responsabilidade social de todos.

Quem entra por Propriá pela Avenida Arthur Melo e ver os canteiros bem preservados com árvores e grama verde, bancos para acomodações dos passantes, sem lixo acumulando a via, crianças brincando que nos remete à um estado de organização e higiene precisa ver o tratamento que vem sendo dado às populações e os locais citados, pois, contracenam com a realidade vivenciada há meses sem que nenhuma resposta seja dada.

“Estamos abandonados por nossas autoridades. A cidade tem um serviço de coleta de lixo precário que não atende toda demanda. Existem vários outros problemas também. Aqui na antiga estação dá medo morar perto dela pela noite porque existe gente do mau que freqüenta o recinto para práticas escusas e uso de drogas. O lixo gera desconforto porque baratas e ratos vem para nossas casas e ninguém faz nada […]. Eu lembro da antiga estação e do apito do trem. Até hoje eu escuto o apito do mesmo jeito. Lembro também dos gritos dos atiradores fazendo treinamento pela manhã quando era o Tiro de Guerra. Todos os meus filhos serviram o Exército aqui. Hoje só vejo lixo e o que não presta”, disse um dos moradores da localidade que é idoso. O Tiro de Guerra é tombado pelo IPHAN.

Não existe conhecimento se a Prefeitura Municipal, através das Secretarias Municipais conjuntas, de Meio Ambiente e também de Saúde, deram alguma atenção perante a situação.

A população aguarda em nome da boa imagem, saúde e educação da sociedade de Propriá.

Da redação

Adeval Marques

Graduado em História/Unit

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta