CORONEL HILÁRIO SANTANA MANDA RECADO PARA BANDIDAGEM EM PROPRIÁ

0
1206

Na Câmara Municipal de Propriá, apresentando discurso, o Tenente Coronel Hilário Santana Silva disse que a que a sociedade pode se tranqüilizar porque a Polícia Militar vau agir diante da bandidagem

Com frases de impacto o Tenente Coronel se posicionou bem em seu discurso que foi transmitido via emissora de rádio Propriá FM e Ilha FM. Disse por mais de uma vez que quem deve ser protegido é a sociedade e a bandidagem rechaçada.

Ao iniciar sua apresentação aos Vereadores ele mostro-se com um bom currículum na área Militar com diversas atuações dentro e fora do Estado e já comandado em ouras cidades do Estado de Sergipe. Sobre a criminalidade em Propriá ele solicitou apoio e ajuda da sociedade deixando seu telefone institucional à disposição de todos e afirmou que os pais monitorem melhor seus filhos ao chegarem em suas residências com objetos fora do poder de alcance da economia da casa.

Depois de sua fala na Tribuna o Tenente Coronel Hilário Santana Silva respondeu alguns questionamentos dos Vereadores e disse que trânsito e maus comportamentos sociais também é questão de segurança e que estará atento à tais questões.

Falando que segurança é uma um conjunto de ações por todos ele informou que tem por via de trabalho a comunicação e diálogo com toda sociedade e bom trato nas relações, entretanto, não haverá tolerância para casos onde haja situações em que coloquem em risco os cidadãos.

Na avaliação do Presidente da Casa, Vereador José Aelson Santos, o Tenente Coronel passou segurança.

Análise:

O discurso do Tenente Coronel Hilário Santana vem trazer uma boa nova nestes dias difíceis de segurança pública no Município de Propriá e região de atuação do 2º BPM. A região do Baixo São Francisco vem crescendo o número da população. É uma das regiões do Estado de Sergipe com baixo índice de desenvolvimento social e motor. Não é contemplada por indústrias, comércio emergente, base de economia agrícola e agropecuária que faz aprofundar a pobreza numa das regiões que já foi referencia no Estado.

Cidade fronteira com outro Estado, Alagoas, que tem números alarmantes de pobreza e é colocado como um dos piores da nação a cidade de Propriá é georeferenciada. É acolhedora e seu comércio vem crescendo graças a capacidade de trabalho do seu próprio povo. São inúmeras lojas dos ramos de supermercados, farmácias, móveis, tecidos, eletrônicos e um número grande de ambulantes e profissionais autônomos.

Mesmo pecando em termos de falta de desenvolvimento ela é atrativa para a bandidagem que, historicamente, vê na leniência das autoridades a oportunidade para efetuarem assaltos, roubos, delitos e assassinatos e até esquartejamento. A Drogadição é galopante. Tudo vem acontecendo porque a cidade vem declinando desde várias sucessões administrativas dos seus gestores, classe política como um todo. São diversos fatores que vem colocando o Estado de Sergipe em posições elevadas na criminalidade e um dos fatores é desemprego e uso de drogas.

A reflexão que se faz é que, talvez, diante da situação que vem se abatendo na cidade, chegou a visão de que toda sociedade está vulnerável e que é preciso tomar providencias urgentes. Numa região onde não se vê uma ação pelo Governo do Estado em termos de implantação de industrias, o avança da pobreza e até miséria, onde existe silencio para não desagradar os cacifes da política do Estado e vive-se uma falta de líderes, a sociedade começa a agir por conta própria e tem-se o caos. Onde há fome, miséria e indesenvolvimento não pode haver tranquilidade porque, enquanto uns tem “pão” e “cobertor” outros amargam solidão e dor. É a sociedade atual do capitalismo.

Espera-se que a Polícia aja, que a justiça aja mais ainda, que a classe política comece a ser representante do povo nesta nação que vive dias difíceis e que, mais do que tudo, prevaleça a paz e tranquilidade na sociedade.

Da redação

Adeval Marques

Graduado em História / Unit

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta