RUA GOUVEIA LIMA: DESASSISTIDA DOS PODERES

0
645

Transitar pela Rua Gouveia Lima, antiga “Rua da Palma” na cidade de Propriá, tem sido um verdadeiro desestimulante, motivo de piada, de repúdio e frases de todos os tipos pela população local. Além dos usuários comuns do dia a dia – pedestres -, os ciclistas, mototaxistas e motoristas são os que mais sofrem com os incontáveis buracos e variações de níveis pelo paralelepípedo. A situação é antiga e a população já não se indigna mais.

A Rua Gouveia Lima é uma das mais antigas da cidade de Propriá. Ela nasceu quando o lugar foi reconhecido como Vila de Propriá pelo Decreto de Cristovão de Barros ainda no século XVI. É histórica e merecia outra atenção, pois consiste em ser patrimônio imaterial da história local. No final da rua existe a Praça Luiz Gonzaga que foi inaugurada com a presença e homenagem do Rei do Baião. Desatenção é pouco.

A atual gestão diz que falta condições para investir na recuperação do calçamento que hoje custaria em torno de duzentos mil reais. É a Propriá que a cada dia parece viver uma espécie de declínio sustentada pela desatenção do Poder Executivo e de uma Câmara Municipal de Vereadores que, ao invés de tratar dos problemas sociais, preferem ignorá-los. A cidade está cheia de exemplos que, lamentavelmente, parecem ser normais.

Propriá tem uma política de sucessões administrativas que desprestigiam o valor cultural e histórico que a cidade possui. Recuperar o calçamento da Rua Gouveia Lima promoveria qualidade de vida para a cidade, pois a ela tem um trânsito complicado e seria uma ótima via de escoação sem que não fosse mais evitada devido aos buracos. Mais ainda, seria de natureza e caráter de valorização cultural e histórico.

No limiar de mais um processo político que vem chegando na cidade espera-se que no projeto de algum candidato a recuperação do calçamento da Rua Gouveia Lima esteja presente. Uma cidade com duas rádios convencionais e mais uma via web, com formadores de opinião com nível de intelecto altíssimo, bons Professores, berço de jornalistas, escritores, poetas, músicos, artistas e bem ao lado da sede da Diocese é impossível que não mais exista capacidade de indignação por tanta “solidão” que vem existindo em Propriá. A responsabilidade de sua alto estima e recuperação depende do que todos tem à dizer.

Nós preferimos achar que Propriá está mergulhada em um grande sono da qual logo mais acordará e então se recuperará para ser, novamente, a cidade nostálgica, dos namorados, das canoas de toldas, imponente, majestosa e bela que um dia foi chamada de Princesinha do Baixo São Francisco.

A recuperação da Rua Gouveia Lima deve ser repensada urgentemente por todos que amam a cidade, pois, ela é parte de nossa identidade social. Nada é tão quanto não se ter e nem preservar a História.

Por Adeval Marques

Graduado em História/UNIT

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta